Voltar à Página Anterior

Museu Bernardino Machado no centro das comemorações dos 45 anos da Revolução

O Museu Bernardino Machado, a casa de umas figuras mais icónicas da democracia portuguesa, vai ser um dos principais palcos das comemorações do 45.º aniversário do 25 de Abril em Vila Nova de Famalicão, com um vasto e simbólico programa de iniciativas que pretendem, acima de tudo, evocar os valores de Abril, como a liberdade, a igualdade e a democracia.
Até ao dia 28 de abril, o museu famalicense expõe “Voz do Silêncio – Prisões Políticas Portuguesas”, uma exposição fotográfica que resulta de um projeto de reconstituição de quarenta anos de prisões políticas do Estado Novo, levado a cabo por Pedro Medeiros. O projeto contou com o apoio do Centro de Documentação 25 de Abril da Universidade de Coimbra e decorreu entre 1999 e 2005 no Tarrafal, "Colónia Penal do Tarrafal", denominada “Campo da Morte Lenta”, na Prisão Forte de Peniche, na Cadeia do Aljube, na Prisão Forte de Caxias, na Sede da PVDE – PIDE/DGS de Lisboa, na Sede da PIDE-DGS de Coimbra e na Sede da PIDE-DGS do Porto.
Na véspera do Dia da Revolução, dia 24, o Museu Bernardino Machado acolhe também o espetáculo musical e teatral “Versos e Sons de Abril”, a cargo do músico André Silvestre e da fadista bracarense Carina Amarante. Será a partir das 21h00, com entrada livre.
No dia 25, o museu recebe pelas 21h00 a apresentação do livro “O rapaz que queria aprender a olhar”. Uma obra sobre censura, da autoria do jornalista portuense Vítor Pinto Basto.
Mas as comemorações do 25 de Abril em Famalicão prolongam-se por outros espaços do concelho.
No dia 22, segunda-feira, a escola artística “A Casa ao Lado” promove um atelier de artes plásticas intitulado “Abril e a Liberdade” para as crianças do ensino básico do concelho. A iniciativa é de participação livre, com limite de 30 participantes por sessão e as inscrições podem ser efetuadas através do email animacaocultural@famalicao.pt.
No dia 24, pelas 17h30, o centenário de nascimento do advogado, escritor e político famalicense Armando Bacelar - prestigiado militante na Resistência contra o regime fascista - dá o mote para mais uma mesa redonda do ciclo de conferências “Conta-me a História”, que o município de Vila Nova de Famalicão tem vindo a promover à volta da sua história e das suas figuras mais proeminentes. A iniciativa terá lugar no Arquivo Municipal Alberto Sampaio e é de entrada livre.
Neste dia, nota ainda para a realização do sarau cultural “Abril, Abril”, às 21h30, no Centro Cultural e da Juventude de Joane, coorganizado pelo Grupo Musical Pedra D’Água e pela Associação Teatro Construção.
Para o dia 25, às 10h00, estão agendadas as habituais cerimónias protocolares, com o hastear da bandeira ao som do Hino Nacional nos Paços do Concelho e a realização da tradicional sessão solene da Assembleia Municipal comemorativa do 25 de Abril, com a intervenção dos vários partidos políticos.
Às 10h00, o Joannem Auditorium, em Joane, promove uma oficina de trabalhos manuais intitulada “Cravo, Flor da Liberdade”. As comemorações do 25 de Abril terminam com uma sessão da iniciativa “Noite do Conto e da Poesia” sob o tema “Liberdade”, às 21h30, na Junta de Freguesia de Bente.
Data de Publicação: Voltar à Página Anterior


Siga-nos

Publicidade


Última Edição!